Carla Veríssimo cria site para se dar a conhecer e ao seu trabalho.

Carla Veríssimo cria site para se dar a conhecer e ao seu trabalho| http://cavverissimo.wix.com/carlaverissimo

08/02/08

1H02 do novo horário de Inverno, Gafanha da Nazaré (39º29'03,14''N; 9º08'55,99''O), Aveiro, Centro de Portugal.

Uma surpresa, inesperada. Eu que adoro surpresas, mas que acho que os meus amigos nunca me fazem tantas como aquelas que gostaria…

E eu, que adoro fazê-las e me vejo sempre em mais uma, seja por iniciativa própria, seja pela de outros, mas há sempre aquele burburinho, aquela magia, aquele arquitectar,…

Que sinto sempre ‘’ah, os meus amigos nunca me fariam assim, uma coisa destas…’’

E então passo a vida à espera de surpresas, e como tal, é muito mais complicado surpreender-se uma pessoa como eu, que passa a vida à coca.

Enfim, ainda assim, têm-me conseguido fazer algumas surpresas, e louvo-os por isso, não por ter sido um arquitectar difícil, pensado e repensado, imaginado, calculado ao milímetro, mas porque exactamente com a espontaneidade deles, a simplicidade, nas coisas mais pequenas, me proporcionam uma surpresa e momentos tão agradáveis, que talvez nem entendam o quanto são grandes para mim.

E ia eu a falar-vos da última surpresa inesperada. Um convite. Um ‘’faz as malas e partir’’, menos que isso até. Um, ‘’vais assim mesmo, com a roupa que tens no corpo’’, ou ‘’junta só uma muda para amanhã e vamos’’.

E partimos. E tem-se a sensação de bem-estar.

De prazer. De plenitude.

E sente-se ‘’estou rodeada de pessoas boas. Tão boas, que nem devem ter noção, do bem que me fazem sentir’’

E então é por elas, para elas que sinto esta necessidade de vir aqui escrever.

Como uma retribuição, a minha pequena dádiva em gratidão a uma coisa simples, e que elas nem se apercebem (talvez…), que fizeram por mim, para mim.

E sinto que todas elas são íntegras.

Íntegras.

Nunca consigo muito bem explicar-me a mim própria o que é isto do ser íntegro.

Mas sei exactamente o seu significado, quando o sinto. Quando sinto essas pessoas, assim: ÍNTEGRAS.


E depois encontro-me mais uma vez (entre tantas, tantas outras) rodeada de casais. Casais feitos de gente assim: completa, justa, intacta, imparcial, inteira, perfeita, alinhada.

Gente que se encontrou na vida e é feliz junta. Em que se olha e se sente: faz todo o sentido estarem juntos. Faz todo o sentido porque são gente simples, boa, humilde, e disposta a partilhar tudo isto com um outro ser não só disposto a partilhar exactamente o mesmo, como ainda a dar, e a receber,…

E dou por mim a pensar: ‘’Caramba, só eu não estou... junta…’’

E por um lado fico triste e com medo de não ser uma pessoa assim: simples, boa, humilde, … íntegra…

Mas por outro lado, sinto-me preenchida com o amor dos outros, o carinho, a dedicação,… e isso basta-me.

E posso deitar-me sem uns braços para me abraçarem, mas durmo bem.

E com isto fiquei sem escrita.

Tenho os pés frios, estou constipada.

Coisas simples.

Vou dormir para acordar mais íntegra amanhã.

CV, 28/10/2007, Aniversário de 28 anos do RL, a 27/10/07



P.S.: a tudo isto, e depois de tudo isto: os meus amigos... fazem muito por mim... só não fazem mais porque não podem... eu é que sou a estupidamente insatisfeita...

perdoem-me.....


6 comentários:

Anónimo disse...

O que parece nem sempre é. Muitas vezes o nosso cantinho emocional reserva-nos surpresas bem agradáveis. Quem consegue escrever suas emoções só pode ser uma pessoa maravilhosa e de grande afeto.
A propósito esqueci-me de pedir o contacto, será que podia?
Quando necessário volto a dar-te boleia para o ISLA, mesmo que não chova.
IE

Carla Veríssimo disse...

Isso é batoteira!! Vir aqui antes de eu conseguir ''postar'' um texto digno e à sua altura, e à altura que me elevou!!
Mas não perde pla demora;)

Anónimo disse...

Apenas cumpri a promessa, mas....
Quando se olha para textos construídos com criatividade e muita emoção eles são sempre dignos de grandes leituras, por isso nada de modéstia.
No entanto, vou tentar estar atento a esse desafio.

censor amigo disse...

‘’Caramba, só eu não tenho namorado…’’
Conselho amigo: Acho que não devias expôr tanto a tua frustração...

;) Bjnh

Flôr de Luali disse...

E o amor proprio?Por muito que os outros te ofereçam, jamais poderás ser feliz sem amor proprio...e com todos esses medos...
Desculpa a invasão...
Gostei de ler-te..vou passar por cá mais vezes.
Beijinho no coração

Flôr de Luali disse...

São viagens que de vez em quando vou fazendo pela internet que me fazem descobrir cantinhos bonitos e de gente bonita...foi numa dessas viagens que descobri o .e virgula:)
Abracinho